Loading...

domingo, 27 de novembro de 2011

Reflexão


  • Hoje é domingo e dia excelente para reflexão. Vai aí um dica. Leia atenciosamente.

  • Seria ótimo!

    Já que colocam fotos de gente morta nos maços de cigarros, por que não colocar também:
    de animais torturados nas caixas de bolsas e sapatos,
    de acidentes de trânsito nas garrafas e latas de bebidas alcoólicas,
    de gente sem teto nas contas de água e luz,
    de políticos corruptos nas guias de recolhimento de impostos,
    de amigos vigaristas que lhe devem dinheiro e não pagam nas embalagens de arroz e feijão...
    É uma ideia !!!



segunda-feira, 26 de setembro de 2011

Delegacia Regional aborta tentativa de seqüestro de empresário de Imperatriz








O Delegado Regional juntamente com serviço de inteligência abortaram uma tentativa de seqüestro ao grande empresário de Imperatriz, há uma semana ao descobrir o esquema, os policias comunicaram a família, onde orientou todos os famílias do empresário e mudar ritmo de vida, inclusive policiais passaram acompanhar o empresário.

Na madrugada de quinta para sexta por ordem da justiça, os policias conseguiu prender um casal que fazia parte da quadrilha, eles tinham alugado um casa por seis meses no Parque Alvorada I, na Rua Piracicaba 122, próximo ao Cemitério Jardim das Rosas, na residência foram encontrado o local já preparado onde seria colocado o seqüestrado, a indentidade do empresario esta sendo mantida em segredo.

Todo o esquema do seqüestro estava num computador, la também a policia encontrou radio de monitoramento da policia, aparelhos de choque, fotos de toda a família do empresário com todos os detalhes sobre dia a dia, a quadrilha era composta por cinco pessoas, três conseguiram fugir, foram presos André Luiz Maciel e Darlene Glória Cal vacante.

Segundo o delegado Regional Francisco de Assis apesar de todas as evidencias do seqüestro que eles iam fazer, os mesmo serão autuados só por formação de quadrilha, porque o seqüestro não foi realizado, André Luis é natural de Marília, (SP) ultimamente estava morando em marabá, o casal confessou toda a trama.
Postado por PINHEIROFOTO 

quinta-feira, 11 de agosto de 2011

Controlador de Imperatriz Cândido Madeira, ameaça ex-vereador Rui Porão



Cândido Madeira Controlador Municipal de Imperatriz

O controlador do município de Imperatriz Cândido Madeira, ameaçou o ex-vereador Rui Porão ontem na Secretaria Municipal de Saúde de Imperatriz - SEMUS. Conforme noticia postada pelo próprio ex-vereador em seu blog veja aqui. Blog do Rui Porão

Não é a primeira vez que esse tipo de denuncia acontece com o controlador do município, no inicio do ano de 2010, o vereador Francisco da Chagas Alves Brito popularmente conhecido como Chagão, registrou ocorrência por ameaça do controlador. Veja aqui noticia do dia 23/01/2010 no Blog do Marco Aurelio D'Eça

Está passando da hora do prefeito Sebastião Madeira dar um basta nesse tipo de situação no governo municipal, pois muitos secretários tem abusado da autoridade concedida pelo prefeito, de chegar ao ponto de chamar o prefeito de "Banana", conforme declaração do ex-vereador.

Ao ex-vereador Rui Porão quero me solidarizar, pois a cidade de Imperatriz não pode voltar a um passado negro de sua historia, onde a pistolagem e o crime organizado reinava nas administrações nos levando a uma triste apelido de "Capital da Pistolagem".


Postado por Jeancarlopa.blogspot.com

terça-feira, 9 de agosto de 2011

Uma história de AMOR


Maquiada e com cabelo arrumado, como pede a vaidade de toda noiva, Rosycler Iadoccico Neves, 61, usou vestido branco com buquê de rosas para se casar.

Seria uma história comum não fosse o fato de a cerimônia ter sido realizada no HC (Hospital das Clínicas) de Ribeirão Preto, no interior paulista. Portadora de doença degenerativa neurológica, ela vive numa cama do hospital e respira por aparelhos.

O casamento, no sábado, teve bênção de um pastor, coral e amigos, enfermeiros e médicos como convidados.

Como Rosy não consegue falar, ela se comunica apontando letras numa placa. As dificuldades não impediram que o auxiliar administrativo Luis Antonio Nogueira, 42, oficializasse a união.


A tetraplégica Rosicler Neves Coutinho, 61, casa-se com Luis Antonio Nogueira, 42, auxiliar admistrativo, seu companheiro de 25 anos, no seu quarto no HC/ USP
A tetraplégica Rosicler Neves Coutinho, 61, quando se casou com Luis Antonio Nogueira, 42, no hospital


Rosy e o marido, o auxiliar administrativo Luis Antonio Nogueira, 42, se aproximaram no Carnaval de 1988 e foram morar juntos seis meses depois.

Há quatro anos, Rosy sentiu fraqueza nas pernas -- uma consequência da doença-- e passou a usar cadeira de rodas. Em fevereiro, ela perdeu o movimento das mãos e a voz enfraqueceu. Desde então, vivia no hospital aos cuidados do marido, da cunhada e da filha mais velha.

RELACIONAMENTO


Foi Luis, então um jovem de 18 anos, que se aproximou de Rosy, quase 20 anos mais velha, no Carnaval de 1988. "Eu a vi tirando as medidas para as fantasias e me encantei." Seis meses depois, eles já moravam na mesma casa, com dois dos três filhos de Rosy, que estava divorciada.


O casal viveu do jeito faz-tudo: ele como servente de pedreiro e motoboy; ela como cabeleireira e manicure.
Luis diz que, quando jovem, a havia pedido em casamento, mas ela se recusou por ele ser "moleque". Anos depois, foi ele quem não quis dar o braço a torcer.

A internação foi a deixa para a oficialização. No casamento, Luis disse que não fazia planos, mas que queria viver mais 30 anos ao lado de Rosy. "É amor. Não me vejo sem ela, mesmo nessa situação."

Infelizmente 8 dias após a cerimônia  Rosycler Iadoccico Neves, morreu  vítima de uma parada respiratória.

domingo, 17 de julho de 2011

FARRA DO BOLO de 159 metros em Imperatriz

PROFESSOR WAGNER CABRAL

Senador José Sarney chama professor da UFMA de desequilibrado
Declaração é feita após apresentação de números da miséria e da pobreza no MA

O professor e pesquisador Wagner Cabral (foto), da Universidade Federal do Maranhão (UFMA), foi acusado pelo Senador José Sarney, na Revista Veja, como desequilibrado após comprovar, por meio de números, na mesma revista, que o Senador é o verdadeiro causador de toda a miséria do Maranhão. O Deputado Domingos Dutra (PT/MA) foi ao plenário da Câmara para manifestar apoio e solidariedade a Wagner Cabral.

“Wagner Cabral é um dos melhores professores da UFMA, é um pesquisador que se dedica a estudar a história do Maranhão. Como é da índole de qualquer educador honesto, Wagner Cabral tem revelado para o Brasil os indicadores sociais negativos do Maranhão depois de 57 anos de domínio do Sr. José Saddam Mubarak Kadaf Sarney”, palavras proferidas pelo parlamentar em defesa do professor.

Na matéria, o pesquisador aponta três motivos para o atraso no Estado do Maranhão. O primeiro é a distribuição de terras pelo clã Sarney nos últimos 60 anos a empresas privadas. A consequência foi a formação de latifúndios improdutivos, que, utilizados para atividades altamente subsidiadas, como a exploração de madeira e pecuária, resultaram em quase nenhum retorno financeiro para a economia maranhense.

O esvaziamento dos cofres do Estado para levar indústrias que demandavam pouca mão de obra ao Maranhão colocou metade da população economicamente ativa hoje depende da pequena agricultura. A terceira contribuição de Sarney para a miséria do Maranhão é a corrupção desenfreada. "No Maranhão, ela é endêmica", diz Wagner Cabral o qual destaca que a República nunca chegou ao Maranhão.Para o Deputado Dutra, Sarney não tem moral política muito menos intelectual para questionar o professor Wagner. A agressão não é apenas ao pesquisador, mas a toda Universidade Federal do Maranhão.

COMENTÁRIO DO BLOG:
SENADOR, FALAR A VERDADE NÃO É FALTA DE EQUILÍBRIO. SÓ DESEJO QUE MAIS PESSOAS NESSE ESTADO DEMONSTREM COMO O SENHOR CONTRIBUIU PARA O MARANHÃO TER  OS INDICADORES SOCIAIS NEGATIVOS DEPOIS DE 57 ANOS DE  DOMÍNIO DE SUA FAMÍLIA. PARABÉNS AO PROFESSOR WAGNER CABRAL POR SUA PESQUISA E AO DEPUTADO DUTRA PELA DEFESA AO PROFESSOR.

domingo, 3 de julho de 2011

Pra Você - Paula Fernandes - Legendado


IMPERATRIZ MERECE OUTDOORS ASSIM













Estas fotos foram encaminhadas por um leitor imperatrizense, que preferimos mantê-lo no anonimato, mas profundamente indignado com os desmandos que vem ocorrendo no executivo e legislativo local. As ilustrações retratam a triste realidade na cidade de Jaraguá do Sul-SC, contudo outdoors assim encaixariam-se com uma luva na cidade de Imperatriz, ficando a dica para os cidadãos igualmente indignados.

Postado por WikiLeaks ITZ.

Um hacker que abala a república

Polícia Federal tenta enquadrar jovem da periferia de Brasília que invadiu os computadores da presidente, copiou 25 mil e-mails do ex-ministro José Dirceu e tentou vender as informações sigilosas para a oposição
O HACKER E O POLÍTICO
Douglas (acima) teria mostrado emails de figurões da República para o
presidente do DEM do DF, Alberto Fraga (abaixo), que manteve o crime sob sigilo



Na sexta-feira 1º, o ministro da Justiça, José Eduardo Martins Cardozo, determinou uma missão a ser cumprida rapidamente pela Polícia Federal: apurar detalhes de como agiu e enquadrar criminalmente um hacker que tem deixado figurões da República em estado de alerta e também punir seus eventuais cúmplices. A última vítima das bisbilhotices eletrônicas do rapaz que se identifica como Douglas, diz morar em Taguatinga – cidade satélite de Brasília –, e que nos últimos dias vinha se gabando por ter invadido o computador da presidente Dilma Rousseff durante a campanha eleitoral do ano passado, é o ex-ministro José Dirceu. Segundo o colunista Guilherme Barros, do portal IG, 25 mil e-mails de Dirceu foram acessados e copiados pelo hacker. O ex-ministro descobriu que fora alvo da invasão na segunda-feira 27. “Eram 9 horas quando liguei o computador e o acesso ao correio eletrônico estava bloqueado”, disse o ex-ministro. “Liguei para o UOL (provedor) e soube que alguém havia usado meu CPF, meu RG e meu endereço e com isso alterou a senha e passou a ter acesso a todas as minhas mensagens”. Segundo Dirceu, os técnicos do provedor lhe informaram que a invasão ocorreu às 2h09 da segunda-feira 27 e durou cerca de sete horas. “Quando solicitei o número do telefone e o IP do computador de quem invadiu o sistema, me disseram que essa informação só pode ser fornecida com autorização judicial”, reclama o ex-ministro, que já escalou um grupo de advogados para tratar do caso. Na sexta-feira 1º, a direção do UOL informou que está fazendo investigações internas e que não iria se manifestar. “Ainda bem que em meus e-mails não há nada que não possa ser público”, afirmou o ex-ministro, ainda sem saber que essa não fora a primeira invasão feita em seus computadores.


VÍTIMAS
A presidente Dilma e o ex-ministro Dirceu:
computadores invadidos e correspondência violada



Já se sabe que o hacker procurou o ex-deputado Alberto Fraga, presidente do DEM do Distrito Federal, para vender sua muamba por R$ 300 mil. Antes, ele teria procurado líderes do PSDB e oferecido o material por um valor superior. O relato que Fraga faz do episódio é uma verdadeira aula de como figuras públicas são capazes de acobertar crimes, quando acreditam que podem se beneficiar deles. Fraga admitiu a ISTOÉ que recebeu e gravou telefonema do hacker no dia 9 de junho. O rapaz dizia ter cópias de e-mails comprometedores de figuras públicas. Qual a reação do líder partidário? Ao contrário do que se poderia esperar de um cidadão de bem, Fraga admite que gostou da história. “Venha até aqui”, respondeu ao rapaz. De fato, no dia 13, se encontrou com o vigarista na sede do Democratas, no Setor Comercial Sul, de Brasília. “Tenho e-mail da presidente Dilma. São uns 600”, disse Douglas, conforme o relato de Fraga. Então, o ex-deputado se empertiga e relata a razão de ter recusado a muamba: faltava-lhe imunidade para o crime. “Se eu tivesse mandato, faria a República tremer”, gaba-se Fraga, que diz ter lido algumas cópias dos e-mails de Dilma. “Mas, sem mandato, não vou entrar nessa canoa”. Mesmo assim, sem proteção assegurada, Fraga torna-se parceiro do crime. Ele contou para ISTOÉ, sem pedir sigilo, que “o mais grave” material do botim do hacker era um email enviado por Dilma para o presidente de um banco privado, que estava prestes a divulgar o resultado de uma pesquisa de opinião às vésperas da eleição. A então candidata, segundo Fraga, teria “evidenciado” que seria interessante se ela aparecesse na frente das pesquisas. “Se isso viesse à tona na época das eleições, seria desastroso para eles”, suspira do líder do DEM.

Além das mensagens da presidente, Fraga admite ter lido 12 e-mails de um total de 2.986 copiados do correio eletrônico de José Dirceu até aquele dia. Hoje ele até se encoraja a dar vazão à chantagem, tornando-se, de certo modo, um cúmplice dela: “Alguns dos e-mails do Zé Dirceu eram dirigidos ao ex-ministro Antônio Palocci e tratavam sobre tráfico de influência, valor de ações da Telebrás e palestras”, diz ele. Depois, sem qualquer resquício de lógica, o ex-deputado procura se diferenciar: “Nós e o PSDB não aceitamos os e-mails porque não fazemos política como os aloprados”. Ao final, porém, Fraga admite que acabou incentivando o crime: “Perguntei se ele tinha documentos recentes e ele respondeu que, se eu quisesse, poderia entrar a qualquer momento no computador da presidente”. A resposta de Fraga ao hacker foi mais um exemplo acabado de dissimulação, segundo seu próprio relato: “No meu gabinete, não!”, exclamou.
A gravação em poder do presidente do DEM do DF é uma prova concreta para que a PF cumpra sua missão. “Va­mos abrir inquérito, requisitar essa gravação que já poderia ter sido entregue à PF e enquadrar criminalmente todos os envolvidos”, afirmou o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, na sexta-feira 1º.

Alan Rodrigues, Lúcio Vaz e Luiza Villaméa



domingo, 26 de junho de 2011

Empréstimos de assessores !!!!!!!.Como assim????


O refúgio de Sérgio Cabral
A casa onde o governador se isolou depois da tragédia foi comprada no período em que tomou empréstimos de assessores

Licenciado por uma semana, Cabral isolou-se em sua casa de R$ 1,5 milhão em Mangaratiba, na Costa Verde fluminense, para descansar. Localizada dentro de um condomínio, a casa é usada como refúgio pelo governador, mas tem sido também uma fonte de aborrecimentos para ele. Há anos Cabral tem sido cobrado a explicar como conseguiu comprá-la com os modestos salários de político.
Documentos obtidos por ÉPOCA mostram que, no período em que adquiriu o imóvel, Cabral recebeu empréstimos de familiares e assessores. Em cinco anos, R$ 474.852,17 entraram em sua conta. Entre 1996 e 1997, quando ainda era deputado estadual, Cabral obteve empréstimos de R$ 54 mil de Aloysio Neves Guedes, seu chefe de gabinete. Guedes recebia R$ 5.400 mensais, dez vezes menos que o valor do empréstimo. Outro financiador foi o assessor Pedro Lino, que ganhava o mesmo que Guedes e emprestou R$ 46 mil. Subchefe de gabinete, Sérgio Castro Oliveira colaborou com R$ 31 mil. Outros R$ 79 mil caíram na conta de Cabral vindos da Araras Empreendimentos, empresa de sua ex-mulher Suzana Neves. O ex-sogro Gastão Lobosque emprestou R$ 264 mil. Em 1998, Cabral tomou emprestados R$ 150 mil da Sociedade Três Orelhas para a compra da casa de Mangaratiba, com a promessa de pagar em 18 meses. A Três Orelhas administra o condomínio (Portobello) onde foi erguido o imóvel.

Cabral não deu detalhes sobre as operações. Qualquer documento referente a esses anos tão remotos já foi descartado, tendo em vista que a prescrição é de cinco anos”, disse sua assessoria. Ele informou, porém, que pagou os empréstimos. Os assessores dos empréstimos são amigos de Cabral e trabalharam em suas campanhas. Aloysio foi indicado para o Tribunal de Contas do Estado, onde hoje é conselheiro. Ele diz não se lembrar de nada: “Faz muito tempo. É coisa muito pequena para eu recordar”. O mesmo diz Pedro Lino. “Se foi feito, está em meu Imposto de Renda”, afirma. Sérgio Castro não respondeu aos pedidos de entrevista.
Michel Filho
LUXO
O imóvel de Cabral em Mangaratiba, avaliado em R$ 1,5 milhão. O local foi escolhido para descanso, mas é outra fonte de questionamentos para o governador.
NELITO FERNANDES

comentários:
  • “Aloysio foi indicado para o Tribunal de Contas do Estado”. Eis o âmago da questão, a causa basilar da perpetuação da impunidade e da desonestidade cultural do brasileiro. (João Ubaldo, Desonestidade é cultura, http://www.estadao.com.br/estadaodehoje/20110626/not_imp737022,0.php). Nossas Cortes são compostas por indicados dos políticos. São suas pessoas de confiança. Como instituições que deveriam punir e servirem de exemplo, têm o papel, na verdade, da manutenção do status quo patrimonialista aos moldes da Coroa Portuguesa. Para esclarecer a tomada do Estado como bem privado pelos plantonistas do poder, em Portugal taxa se chama propina. Juízes e procuradores gerais são indicados por reis para servi-los e não para puni-los. A transformação do império para república foi parcial. Sem exemplo das Cortes e vendo que a maneira material de vencer no Brasil segue este caminho lamoso, sinaliza aos fracos a opção mais fácil de seguir. Enterro da Satiagraha, Castelho de Areia e inexoravelmente o Mensalão são exemplos recentes. Mesmo a mídia não cobra resolução dos casos, apenas a saída do poder, como exemplo, "A Folha não chuta cachorro morto”. Como assim? Sai impune e tudo bem? Você roubou o povo, deixou lhe faltar suas necessidades básicas, mas como saiu, eu mídia te perdôo? Ah, mas é matéria requentada, o roubo já aconteceu há 16 dias e brasileiro, segundo Golbery, leva 15 dias para esquecer o assunto. Prescrição é aqui celere. Abstração moral e religiosa para que? Simples assim." 
    • JOSE | MG / BELO HORIZONTE